Você está aqui:

Juscelino Kubitschek de Oliveira

Juscelino Kubitschek de Oliveira
Mandato de: 
31/01/1951 até 31/03/1955

Juscelino Kubitschek (31/01/1951 a 31/03/1955)

Natural de Diamantina (MG), nasceu em 12 de setembro de 1902. É filho de João César de Oliveira e de Júlia Kubitschek.
Formação: médico

Diplomado médico em 1927, trabalhou na Santa Casa de Misericórdia, em Belo Horizonte. Posteriormente seguiu para Paris para especializar-se em urologia. Ao regressar, montou seu próprio consultório. Em 1931 foi nomeado para integrar o corpo de médicos do Hospital Militar da Força Pública do Estado de Minas Gerais. Em dezembro casou-se com Sara Gomes de Lemos, de uma família de grande prestígio no estado.
Em 1933, assumiu a chefia de Gabinete do então governador Benedito Valadares. Em 1934, foi eleito para seu primeiro mandato parlamentar. Com o golpe dado por Getúlio Varags, em 1937, perdeu o seu mandato e voltou a atuar como médico.

Prefeitura de BH

Em fevereiro de 1940 foi convidado por Benedito Valadares para assumir o cargo de prefeito de Belo Horizonte. Embora ocupando o cargo de prefeito, permaneceu na chefia do Serviço de Cirurgia do Hospital Militar, onde continuou a operar todas as manhãs, e assumiu ainda a chefia do Serviço de Urologia da Santa Casa de Misericórdia.
Preocupado em remodelar a cidade de Belo Horizonte, abriu grandes avenidas e dedicou-se às obras de infra-estrutura da cidade, removendo e ampliando as redes de esgoto e abastecimento de água, além de construiu o conjunto arquitetônico de Pampulha, um dos marcos da moderna arquitetura brasileira, projetado por Oscar Niemeyer.
Em 1945, foi o segundo candidato mais votado em  Minas Gerais e iniciou o mandato ao se instalar a Constituinte em fevereiro de 1946. A partir de março de 1947 desencadeou franca oposição ao governo de seu estado.
Em 1950, conquistou o governo mineiro. A base de sua administração foi o binômio energia e transporte. Sua candidatura presidencial foi homologada pela convenção nacional do PSD em 1955, venceu as eleições e tomou posse em 1956. Rapidamente, enviou ao Congresso um projeto de lei concedendo anistia ampla e irrestrita a todos os civis e militares que tivessem participado de movimentos políticos ou militares no período de 10 de novembro de 1955 a 19 de março de 1956.
Já em abril de 1956 assinou a mensagem a ser enviada ao Congresso, juntamente com o projeto de lei propondo a transferência da capital da República para o planalto Central. Com a aprovação, em 19 de setembro sancionou a lei que fixava os limites do futuro Distrito Federal.
Em março de 1957, em concurso organizado por Oscar Niemeyer, foi aprovado o plano-piloto de autoria do arquiteto e urbanista Lúcio Costa para a construção de Brasília. Em 21 de abril de 1960 Kubitschek declarou inaugurada a nova capital, Brasília.

Programa de Metas

O Governo favoreceu a entrada de capital estrangeiro e através do BNDES assegurou o acesso a créditos do exterior aos empresários. A grande entrada de capital estrangeiro foi, no entanto, a principal fonte de oposição à política econômica de Juscelino, notadamente por parte da esquerda. De um lado, o mecanismo de proteção às manufaturas de origem nacional obrigava as empresas norte-americanas a investir diretamente no Brasil, a fim de não perderem o mercado. Do outro, o governo concedia isenções e privilégios, permitindo que ...