Você está aqui:

Júlio Bueno Brandão

Júlio Bueno Brandão
Mandato de: 
27/10/1908 até 03/04/1909
07/09/1910 até 07/09/1914

Júlio Bueno Brandão (1º mandato: 27/10/1908 a 03/04/1909 e 2º mandato:07/09/1910 a 07/09/1914)
Natural de Ouro Fino (MG), nasceu em 11 de julho de 1858 e faleceu em 21 de março de 1931
Filho de Francisco de Paiva Bueno e Francisca de Paiva Bueno
Formação: Bacharel em direito - 1879

Trajetória

Bueno Brandão estudou sozinho e, em 1879, ano em que completou 21 anos, prestou exame de qualificação e passou a advogar em sua cidade natal. Muitos estudiosos o consideram o autodidata que mais se destacou no cenário da magistratura mineira. A vida política desse dinâmico ouro-finense começou em 1892. Nesse ano, Bueno Brandão elegeu-se vereador de Ouro Fino e presidente do Poder Executivo Municipal. Ainda jovem, foi componente atuante do Movimento Republicano Mineiro, no qual esteve de 1870 a 1889.

No governo de Bias Fortes, em 1891, foi nomeado presidente do Conselho de Intendência de Ouro Fino. Bueno Brandão ficou nesse posto até 1892, quando foi eleito presidente da Câmara Municipal e reconduzido à Presidência Municipal até 1901. Nesse cargo, reativou a economia do município de Ouro Fino, que estava estagnada desde o fim da atividade mineradora. Como presidente municipal, fundou a Associação Jornalística e Literária e o jornal Gazeta de Ouro Fino; criou a escola primária municipal; fundou a Escola Prática de Agricultura; construiu estradas municipais; cuidou da urbanização da cidade e ampliou a rede de abastecimento de água.

Sua atuação em Ouro Fino o projetou para a política estadual. Em 1893, elegeu-se deputado estadual, chegando à reeleição até 1898. Na Assembléia, foi líder do governo, relator da Comissão de Orçamento e presidente da Comissão de Assuntos Municipais. De 1897 a 1899, ocupou também a vaga de senador federal. Foi reeleito em 1900, exercendo a função por mais oito anos, quando ocupou a 2ª Secretaria do Senado e se empenhou para a aprovação da reforma eleitoral, conhecida como Lei Rosa e Silva.

Após a morte de João Pinheiro, Bueno Brandão foi presidente estadual (1908-09), dando continuidade ao governo do falecido presidente. Ao concluir seu período governamental, voltou para Ouro Fino. Uma de suas iniciativas como presidente de Minas foi a promoção da reforma na divisão administrativa do Estado, resultando na criação de 40 municípios.

A obra mais importante do governo de Bueno Brandão para Minas talvez seja o projeto de desenvolvimento regional e municipal aprovado pela Lei Estadual nº 546, de 27 de setembro de 1910. O projeto garantia empréstimo aos municípios para instalação dos serviços de energia elétrica, saneamento, construção de estradas e de escolas. Os municípios podiam requerer o empréstimo mediante projeto que apresentasse o planejamento para as cidades e as metas a ser alcançadas. Júlio Bueno Brandão foi político, magistrado, advogado e jornalista. Mas, sobretudo, foi um mineiro que defendeu as cores de Minas Gerais durante toda sua trajetória política.

Atividades

  • Elegeu-se seguidamente vereador e, durante vários períodos, agente executivo municipal -1883
  • Nomeado presidente do Conselho de Intendência de Ouro Fino, durante o governo Bias Fortes - 1891
  • Presidente da Câmara Municipal - 1892
  • ...