Você está aqui:

Joaquim Cândido da Costa Senna

Mandato de: 
21/02/1902 até 07/09/1902

Joaquim Cândido da Costa Senna (21/02/1902 a 07/09/1902)
Natural de Conceição do Mato Dentro (MG), nasceu em 13 de agosto de 1852 e faleceu em 20 de junho de 1919, em Belo Horizonte.
Formação: Engenharia de Minas pela Escola de Minas de Ouro Preto - 1880

Atividades

  • Diretor e professor da Escola de Minas de Ouro Preto
  • Deputado
  • Senador de Minas
  • Senador
  • Presidente do Estado de Minas Gerais
  • Membro efetivo da Sociedade de Mineralogia de Paris
  • Membro efetivo da Sociedade Imperial de Mineralogia de S. Petersburgo
  • Membro efetivo da Sociedade Geológica de Paris
  • Membro efetivo da Sociedade de Geologia de Berlim
  • Membro do Congresso Científico Latino-Americano
  • Membro da Academia Mineira de Letras

Trajetória

Na Escola de Minas de Ouro Preto, além de se formar em engenharia, ocupou o cargo de diretor e professor nas disciplinas, Mineralogia e Geologia, Física e Química. Exerceu ainda, temporariamente, a função de Secretário da Escola de Minas. Representou Minas na "Exposição de Mineração e Metalurgia" no Chile e no Congresso Científico Pan-Americano no mesmo país. Pouco depois foi encarregado de organizar as seções de Mineralogia nos museus do Brasil localizados em Genebra e Paris e nomeado comissário-geral do Brasil na Exposição de Turim. Seu envolvimento com a ciência o fez participar de várias instituições científicas e culturais.

Membro do Partido Republicano Mineiro que foi criado ainda durante o Império e tinha como principal objetivo representar os ideais republicanos e oligárquicos da elite agrária do Estado de Minas Gerais. Participou da Constituinte Mineira como deputado e depois foi eleito senador. Foi casado com Virgínia Wellerson de Senna.